Pesquisar este blog

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Amigo - Rolando Boldrim

video

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Jonas, o tudo e o nada em questão


Hoje deparei com um questionamento, feito por um amigo de conversa várias.
Muito falamos, comentamos sobre inúmeros assuntos.
No entanto ele surpreendeu-me ao perguntar o que é o tudo e o que é o nada?
Pensei.
Ele afirmou que ninguém pode definir.
"Nenhum lexicólogo nem mesmo nenhum filósofo definirá a contento o que é o TUDO o que é o NADA.
Que o tudo era tudo aquilo que estava presente ao nosso lado naquele momento, se fosse destruido sobraria o nada ou seja o tudo que restou. Onde estaria o nada diante as outras coisas que não estavam ali no momento, o nosso tudo era então o nada."
Intrigou-me Disse a ele: você esta filosofando.
Vejam que esta questão fora dita por outros: " Por definição, quando se fala de existência se fala da existência de algo. O nada não é coisa alguma, logo não existe. O nada é um signo, uma representação linguística do que se pensa ser a ausência de tudo. O que existe são representações mentais do nada. Como uma definição ou um conceito é uma afirmação sobre o que uma coisa é, o nada não é positivamente definido, mas apenas representado, fazendo-se a relação entre seu símbolo (a palavra "nada") e a idéia que se tem da não-existência de coisa alguma. O "nada" não existe, mas é concebido por operações de mente. Esta é a concepção de Bergson, oposta à de Hegel, modernamente reabilitada por Heidegger e Sartre, de que o nada seria uma entidade de existência real, em oposição ao ser. "
E sobre o tudo encontrei em pesquisa:
Tudo pode definir-se basicamente como o contrário de nada. Tudo pode ser facilmente definido como todas as coisas que existem no universo ou em outros universos, o conjunto de todos os universos pode-se considerar tudo.
Tem importante acepção filosófica, uma vez que, imaginar um universo como tudo implica considerar como finito proposição incapaz de ser demonstrada dados os níveis atuais de tecnologia. Entidades reguladoras: A última frase não faz sentido. Se é tudo e é infinito ao mesmo tempo, é impossível de ser provado senão através da própria concepção mental. ( Tudo - Nada  Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.)
Não é que o jacaré do olhos pelados estava mesmo filosofando.
Mas uma qualidade que eu desconhecia em nosso Tio Patinhas.
Vivendo e aprendendo!
rar 

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

O fim!


O fim é o inicio
O ponto final, o primeiro passo ao horizonte. 
Afinal o fim é a oportunidade.
Enfim ...ou até que enfim.
rar

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Texto do Discurso de “O Grande Ditador”, de Charles Chaplin;


Desculpe!
Não é esse o meu ofício.
Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja.
Gostaria de ajudar - se possível -
judeus, o gentio ... negros ... brancos.

Todos nós desejamos ajudar uns aos outros.
Os seres humanos são assim.
Desejamos viver para a felicidade do próximo -
não para o seu infortúnio.
Por que havemos de odiar ou desprezar uns aos outros?
Neste mundo há espaço para todos.
A terra, que é boa e rica,
pode prover todas as nossas necessidades.

O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
A cobiça envenenou a alma do homem ...
levantou no mundo as muralhas do ódio ...
e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios.
Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela.
A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis.
Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que máquinas, precisamos de humanidade.
Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura.
Sem essas duas virtudes,
a vida será de violência e tudo será perdido.

A aviação e o rádio aproximaram-se muito mais. A próxima natureza dessas coisas é um apelo eloqüente à bondade do homem ... um apelo à fraternidade universal ... à união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhões de pessoas pelo mundo afora ... milhões de desesperados, homens, mulheres, criancinhas ... vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes.
Aos que me podem ouvir eu digo: "Não desespereis!" A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia ... da amargura de homens que temem o avanço do progresso humano.
Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo.
E assim, enquanto morrem os homens,
a liberdade nunca perecerá.

Soldados! Não vos entregueis a esses brutais ... que vos desprezam ... que vos escravizam ... que arregimentam as vossas vidas ... que ditam os vossos atos, as vossas idéias e os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como um gado humano e que vos utilizam como carne para canhão! Não sois máquina! Homens é que sois! E com o amor da humanidade em vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar ... os que não se fazem amar e os inumanos.

Soldados! Não batalheis pela escravidão! lutai pela liberdade!
No décimo sétimo capítulo de São Lucas é escrito que o Reino de Deus está dentro do homem - não de um só homem ou um grupo de homens, mas dos homens todos! Estás em vós!
Vós, o povo, tendes o poder - o poder de criar máquinas.
O poder de criar felicidade!

Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela
de fazê-la uma aventura maravilhosa.
Portanto - em nome da democracia - usemos desse poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo ...
um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho,
que dê futuro à mocidade e segurança à velhice.

É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém escravizam o povo. Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância, ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós.
Soldados, em nome da democracia, unamo-nos.

Hannah, estás me ouvindo? Onde te encontres, levanta os olhos! Vês, Hannah? O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo da treva para a luz! Vamos entrando num mundo novo - um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade. Ergues os olhos, Hannah! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança.
Ergue os olhos, Hannah!
Ergue os olhos!
email de:
Vanderlei Pequeno

Vereador - PT  - Cataguases - MG

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Asas


Quero viver livre e ser sempre livre, para tanto preciso libertar-me de minhas convicções.
São elas que fazem eu ser, o prisioneiro, aquele que sou.
Penso ser livre, obviamente, o quanto posso.
Pensar posso.
Querer também.
Fazer nem sempre.

Para Descartes, age com mais liberdade quem melhor compreende as alternativas em escolha. 
Assim sendo, sou livre se respeito á liberdade dos outros, se reconheço o direto individual de cada um.
Não sendo, serei prisioneiro do meu próprio pensar, escravo de minha verdade.

rar.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

A coisa mais melhor do mundo?

Negra do tabuleiro carregando filho às costas
Fotografia de Christiano Júnior, s/d.

"A negra sorriu:
- Tá vendo?
- Tou. A gente liberta o negro.
A negra ia apanhando o tabuleiro. Henrique ajudou-a a botar as latas vazias em cima. Ela perguntou:
- Você sabe qual é a coisa mais melhor do mundo?
- Qual é, minha tia?
- Adivinhe.
- Mulher...
- Não.
- Cachaça...
- Não.
- Feijoada...
- Não sabe o que é? É cavalo. Se não fosse cavalo, branco montava em negro..."

Jorge Amado

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Sê - Pablo Neruda



Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,

Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,

Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
 
texto de: Pablo Neruda

O Tempo


O tempo é para o ser humano passível de ser dividido em três dimensões lineares: o passado, o presente e o futuro. Para Platão, existe o mito do eterno retorno, onde o tempo era um movimento cíclico e assim tudo aquilo que acontecia no passado era repetido e retornava novamente. Aristóteles, na Física, colocava alguns problemas à existência do tempo. Para ele, o tempo não poderia existir, já que nenhuma das suas partes existe. O instante presente, por não ter duração precisa, o passado já aconteceu e o futuro ainda não é. Na perspetiva de Kant, o tempo é uma estrutura da relação do sujeito com ele próprio e com o mundo. Segundo Hegel, o tempo é o pensamento do puro devir.
Eu, com menor saber, ouvi dizer que, o tempo é o senhor da razão.  Quando algo de ruim nos acontece,  o tempo é duradouro, custa a passar.  Para quem perde, o tempo não passa, arrasta. Impressão ou sentimento oposto, tem o tempo na descrição de quem vive um bom momento.
Em relação a distância, o tempo afasta.  
Mas quando há tempo, não. 
O tempo se faz.
Quando tem o querer.
É compulsório
É contemplativo
É determinante.
O que mais é o tempo?
Em que tempo estou?
No passado, no presente ou no futuro?
Óbvío?
De tempo em tempo um novo tempo, com a marca inevitável de outros tempos.
Enquanto tempo tenho.
Viverei.
rar.

moticação http://migre.me/7voXy