Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 27 de março de 2015

Opinião x Conhecimento .

Tenho observado diversas manifestações nas redes sociais.
Até eu mesmo, estava entre aqueles, que emitem opiniões.
Analisando as interações que participei, verifiquei que, tanto eu, como os meus amigos virtuais, não arredávamos do nosso próprio pensamento
O que fazíamos, então. ?
Reforçávamos a nossa opinião.
Pois, o que é a opinião ?
Se não, o modo de ver pessoal, o juízo que se forma de alguém, ou de alguma coisa, a adesão pessoal ao que se crê bom e verdadeiro, as manifestações das ideias individuais, e ou coletivas, a respeito de algo ou alguém.
Portanto parte de uma verdade. Em algumas vezes, inibidor da faculdade do pensar, da reflexão. Outras, um sentimento comum da generalidade das pessoas relativamente a determinado tema ou questão.
Contrapondo a opinião, coexiste o conhecimento.
O que é o conhecimento ?
Se não, a competência ou sabedoria em relação a um assunto ou a um.fato. Que se adquiri através da instrução, da experiência, da noticias, da informação, da ideias, das relações entre as pessoas, das opiniões, e etc.
Em síntese, poderia afirmar que se assemelha ao conjunto das partes.
Portanto, muito mais vale o procurar " Saber," do que o tentar definir, do que aceitar aquilo que esta pronto, do que discordar por discordar, do que não se renovar, do que conviver com a arrogância do estar sempre certo.
O grande fruto da sabedoria, é o conhecimento que se assimila com a prudência, a ciência e a razão.

rar

quarta-feira, 25 de março de 2015

Caio Fabio D'Araújo Filho sem paixões

Religiosidade sem patrulhamento - Um Argumento sem como vendas não dogmatismo. Ele é um pregador evangélico' .. Psicanalista Clínico, escritor e pregador do Evangelho da Graça de Jesus.

Não gosto de escandalo. Mas das OS novelas ofendem Milhões de vezes Menos fazer that OS escândalos dos "evangélicos". Veja e entenda! Www.vemevetv.com.brwww.caiofabio.net
Postado por Caio Fabio D'Araújo Filho em Terça, 24 de março de 2015

Mais com a " cabeça " menos com o coração.


Ao ler o livro Noções de Sociologia do Prof. Marcos Inácio Araújo e Oliveira. Assimilei que o homem é um animal gregário, o homem tende a companhia de seus semelhantes. O primeiro grupo é a família, o grupo natural ou primário, e os demais são chamados secundários ou derivados.

A sociabilidade é o impulso que leva o homem ao agrupamento. esta organização em grupos é feita em razão da harmonia social. o homem possui a predisposição instintiva da vida em grupo.
Os fenômenos da convivência do homem e dos grupos, e a pluralidade de homens e grupos, geram o fato social, que é o objeto de estudo da sociologia.
" Sociologia é o estudo dos fatos sociais e da sociedade, em suas manifestações estáticas e dinâmicas, e de causas e leis destes fenômenos."
Estáticas são as instituições sociais em si. Dinâmicas, são os movimentos evolutivos e involutivos 
A dinâmica do fato social " a ideia que aciona para um fim." é um conceito que não podemos perder de vista. Há ideologias que tiram proveito de um certo determinismo que se encontram nos que encaram o fato social pelo lado estático. assim o fato social não provém da inteligência humana, ele é mecânico, pré fabricado e não adianta agir a seu curso.
" Sociologia é a ciência dos fatos sociais, enquanto relações entre homens, formação e vida em grupo e instituições, causas, leis constantes aplicadas e aplicáveis nestes fatos humanos." 
A sociologia geral estuda os fatos sociais, genericamente, nas suas diversas maneiras de ser. A sociologia especial estuda os fenômenos sob um determinado prisma. pode ser Pura ou Teórica. Quando estuda os acontecimentos sociais sem preocupação com a prática é Especulativa. Quando visa finalidades práticas é Sociologia aplicada.
Através da sociologia podemos tentar ver os problemas que decorrem da formação e da maneira de ser do brasileiro.
As primeiras raças formadoras do nosso povo:
O elemento nativo. Eram indolentes, irresponsáveis, tendo uma natural religiosidade supersticiosa. Sua vida, como a origem do poder baseava-se na força física. a vida de caça e pesca levou-nos ao nomadismo.
Os colonos portugueses. Eram aventureiros, adaptava-se sentimentalmente a Colonia, armou-se para defendê-la, eram ambiciosos, pretendiam estabelecer moradia, trabalhou a terra, descobriu-lhes as riquezas, e despertou para um autêntico espírito nacional. 
Os africanos. Eram autênticos, sentimentais, tanto que morriam da doença chamada banzo, que nada mais era do que a saudade da Africa. Eram dócil de alma e fortes de corpo.
Outros elementos; Outros povos, embora não tenham peso tão essencial, marcaram de alguma forma a nossa gente. Quando não há influência de mistura social, há os aspectos psicológicos da imitação.
Diante do fato social, de nossa formação social, como POVO BRASILEIRO, podemos tentar concluir Somos um povo ainda em formação, " um país de muitas idades. " Não temos um tipo físico definido, nem mesmo um tipo psíquico.
Dos nativos herdamos o espírito aventureiro, consequentemente imprevidente, ainda a vida informal e indolente, 
Dos colonos portugueses reforçou o espírito aventureiro, a religiosidade, sem eiva supersticiosa
Dos africanos a docilidade temperamental, as emoções que o brasileiro externa com simplicidade.
Enumeramos os principais pontos negativos, que encontramos.
A indolência ( herança selvagem), a imprevisibilidade (herança dos portugueses), e o sentimentalismo ( herança de portugueses e africanos), este se mal orientado, dar-nos-á consequências danosas.
São questões que parecem desprovidas de significados, mas que revelam a profundidade do problema.
Quanto ao sentimentalismo exagerado, tem nos levado a erros, pois é preciso pensar mais com a " cabeça," menos com o coração..
Resumi.
rar.

O jeitinho brasileiro


Lendo a Historia da Republica Brasileira de Hélio da Silva. Edição da ISTOÈ.
Apenas os volumes:

Nasce a República 1888 - 1894.
A Novembrada, Governo Café Filho 1955. 
A Fuga de João Goulart 1962 - 1963. 
Estarreci. 
Período conturbado da história republicana:

golpes, fraudes eleitoral, revoltas militares, intervenções, censuras, prisões, exílios,deposições, eleições, fechamento de congresso e outros.
Conclui: 

Somos vítimas de uma proclamação sem objetivos claros e definidos, que derrubou a monarquia, sem saber o que fazer diante o novo regime constituído: A República. Não satisfeito, criamos na atualidade uma constituição parlamentarista e adotamos o regime presidencialista.
rar

segunda-feira, 10 de março de 2014

Espelho ...

Em Diamantina próximo ao Fórum e a estátua de Juscelino Kubitschek de Oliveira.
Estava um senhor, barba grande, bermuda, agasalho de frio e chinelo de dedo.
Aos gritos:
Ladrões, ladrões, safados.
Ladrões, ladrões, safados.
Santos Dumont e Juscelino Kubitschek, duas personalidades mineiras. O resto são ladrões, safados, ladrões safados.
Devolvam o meu dinheiro.
Devolvam o meu dinheiro.
Santos Dumont e Juscelino Kubitschek, duas personalidades mineiras. O resto são ladrões, safados, ladrões safados.
Ladrões, safados.
Ladrões safados.
Devolvam o meu dinheiro.
Devolvam o meu dinheiro.
Lembrei de um livro que li, há muito tempo, onde o autor cunhou a frase: " Toda cidade tem um louco, que serve para chamar aos demais a realidade."

rar.

Escapei .


Segunda de carnaval.
Sentado, entre dois carros, a porta da casa onde moro em Diamantina-MG,
Rua íngreme.
Inesperadamente aconteceu um sinistro.
Um caminhão reboque, pertencente a uma seguradora, estava estacionado acima. Do lado de fora do caminhão, o motorista e mais dois socorristas recarregavam a bateria.
Quando inadvertidamente o veiculo desceu a ladeira, abarrotando o primeiro veiculo e arrastando-o em minha direção.
Em frações de segundo, levantei e posicionei-me encostado em uma grade, num espaço de aproximadamente 40 centímetros. Vi passar por mim o carro e o caminhão até colidirem com o outro veiculo.
É ... para morrer basta estarmos vivos.
Estou.
Sorte!
rar.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Caturrice ...

Caturrice ...

Como existem diferenças.
Deste de Domingo, chove em Diamantina.
Chuvas esparsas, com pequenos espaços de estiagem.
Quem conhece as cidades históricas, de Minas Gerais. Sabe que é normal.
O tempo mudar, no mesmo dia, duas, ou mais vezes.
Eu afeito a fatos, iniciei a observação.
Para não cometer sandice.
Procurei transformar em dados.
Como? 

Realizei o registro das observações.
Estatisticamente falando, posso afirmar.
Elas, quando saem de casa, chova ou faz calor, frio ou quente.
Levam sombrinhas.
Para guarda a chuva, o sol, e o vento.
Se chovem saem de casa, para proteger da chuva.
Se sessa, continuam, protegendo do sol,.

Se vento, protegendo as madeixas. e o cabelo,.
Se não.
Transformam em Sarará.
Nem precisavam, era só usar finalizadores da Bothânico Hair.
Bons para proteger da umidade, calor sol e poeira
Mas precavidas.
Saem com proteção auxiliar.

O guarda Chuva.
Nós homens, pelo contrário.
Se esta chovendo.
Ficamos em casa, só saiamos se sessar, ou se a chuva miúda, for aquela, que molha tolo.
Assim, paramos no primeiro abrigo. 

Abrigamos até passar.
Quando saímos com a proteção.
Esquecemos, o bendito, onde paramos.

Vamos lembrar, quando novamente a chuva retornar
Um novo dilema.
Onde foi mesmo?
Santa teimosia.
rar.

Ilusão

Ilusão

A frente.
Grande montanha de vegetação rasteira.
No cume, uma pequena casa.
Uma grande mansão.
De lá, sou visto.
Pretensioso.
Tantas, são o que avistam.
Referência é ela. 
Solitária
No alto da montanha.
Fosse eu, o homem.
Que de lá.
Consegui-se.
Avistar o fundo do mar.
Seria eu.
O super homem.
rar.

Daqui eu vejo

Daqui eu vejo

Lá.
Entre verdes a direita e a esquerda.
Um cinza.
Passa um, passam dois, passam muitos.
Sobem, descem.
Todos estudantes em buca de conhecimento, e ao retorno a história.
Hoje para algures, ou alhures.
Destino tem.
Sabem para onde vão.
rar.