Pesquisar este blog

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Primeiro brasileiro tricampeão da São Silvestre

Aparentando muito cansaço após vencer a São Silvestre, Marílson Gomes dos Santos teve dificuldades até para falar. No entanto, o corredor falou sobre a dificuldade que passou para ser o primeiro brasileiro a vencer pela terceira vez a importante competição. 

Marílson conquista a São Silvestre

- O tempo não ajudou, foi muito difícil, mas consegui a vitória. 


Queniana Timbilili vence São Silvestre e quebra recorde

De acordo com Marílson, a parte em que ele mais sofreu foi na subida da avenida Brigadeiro Luís Antônio, conhecida por ser o obstáculo mais difícil a ser superado pelos competidores. No entanto, ele não diminuiu o ritmo e conseguiu fechar a prova em 44min03s, quase 50s à frente do segundo colocado, o queniano Barnabas Kosgei.

- A parte final da subida [da Brigadeiro] foi a mais difícil. Fiz uma boa prova. Eu achava que a prova ia ser decidida no final, mas foi melhor para mim. Decidi antes. 

Marilson ainda dedicou o título ao seu filho Miguel, que vai nascer em fevereiro.

http://esportes.r7.com/mais-esportes/noticias/primeiro-brasileiro-tricampeao-da-sao-silvestre-marilson-comemora-bom-desempenho-na-prova-20101231.html

Lula: "saio do governo para viver a vida das ruas"


Saio do governo para viver a vida das ruas.
Homem do povo que sempre fui, serei mais do povo do que nunca, sem renegar o meu destino e jamais fugir a luta.
Não me perguntem sobre o meu futuro, porque voces já me deram um grande presente.
Perguntem, sim pelo futuro do Brasil!
E acreditem nele.
Porque temos motivo de sobra para isso.
Minha felicidade estará sempe liga a felicidade do meu povo.
Onde houver um brasileiro sofrendo, quero estar espiritualmente ao seu lado.
Onde houver uma mãe e um pai com desesperança quero que minha lembraça lhes traga um pouco de conforto.
Onde houver um jovem que queira sonhar grande, peço-lhe que olhe a minha hitória e veja que na vida nada é impossível.
Luis Inácio Lula da Silva

Retirante do sertão pernambucano aos 7 anos de idade, ex operário e líder sindical que se tornou 
O melhor presidente da história do Brasil

http://palavras-diversas.blogspot.com/
Fotos Ricardo Stuckert
Música: "Toque de viola" ( Almir Sater)

Imagem do mês - 12/10

Presidente Lula e a presidente eleita, Dilma Rousseff, visitam o vice-presidente José Alencar no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo (Foto: Ricardo Stuckert/PR )

Dizem: O número 3 é o número perfeito
Aqui a triologia do poder.
Origem, vidas, experiências distintas
Entre eles destaca a figura do José de Alencar
Empresário, político e mineiro.
A sua postura diante a debilidade é um exemplo de força,.de coragem, de paciência e determinação.
rar.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

A alquimia de um ourives


Há dezesseis anos veio ao mundo o meu filho.
Pablo!
Desde a concepção, uma espera programada.
O zêlo de sua mãe antes da gravidez , e durante.
Até a hora do parto.
O antendimento médico do pré natal.
A descobeta do sexo através do ultrasom
A montagem do quarto: moveis, cortinas, estande, brinquedos até mesmo um aparelho de som para ouvirmos classicos de Beethoven, Tchaikovsky, Mozart, Vivaldi, Bach, Chopin e mais o bolero de Ravel.
O nascimento.

As visitas, entre elas a da minha mãe.
O teste do pezinho.
O primeiro banho, o primeiro ovinho quente, o primeiro encatinhar, os primeiros passos., o batismo, o primeiro aniversario, a primeira festa no educandario.
Você viveu todos este momentos como o protagonista e pode ver todos estes momentos, porque os gravei.
Hoje eu relembro de todos eles e omito alguns, mas todos eles estão lá na fita cassete ou no DVD.

O principal objetivo dos alquimistas era produzir ouro a partir de outras substâncias, como o chumbo.
O ouro é usado como símbolo de pureza, valor, realeza e ostentação.

Toneladas deste metal seria recusado se eu tivesse a certesa que  bateei alguém de melhor e maior valor.
Minha modesta alquimia foi de prepara-lo para alcar vôo em direção ao seu horizonte.
Você e eu sabemos como foi.
Distante, hoje a 195 km de sua morada.
Ligados não só pela tecnologia modena.
Mas sobretudo pela devoção de um pai sempre presente.

Interrompi por instantes porque sussurravam em meu ouvido.
Percebi que era o nosso filosofo predileto.
Em seu silêncio balbuciou  “O Homem é uma corda esticada entre o animal e o Super-Homem, Uma corda por cima do abismo”  Foi além e vociferou "A grandeza do homem é ser ele uma ponte, e não uma meta; o que se pode amar no homem é ser ele uma transição e um ocaso." -  Nietzsche.

Como garimpeiro deve continuar lavando  o cascalho extraido dos rios ou riachos  para separar as pepitas do ouro das pedras do cascalho. Lembre sempre que a pirita parece mas não é

Parabéns!
rar

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A verdadeira história do Natal

 

A humanidade comemora essa data desde bem antes do nascimento de Jesus. Conheça o bolo de tradições que deram origem à Noite Feliz

Texto Thiago Minami e Alexandre Versignassi

Roma, século 2, dia 25 de dezembro. A população está em festa, em homenagem ao nascimento daquele que veio para trazer benevolência, sabedoria e solidariedade aos homens. Cultos religiosos celebram o ícone, nessa que é a data mais sagrada do ano. Enquanto isso, as famílias apreciam os presentes trocados dias antes e se recuperam de uma longa comilança.
Mas não. Essa comemoração não é o Natal. Trata-se de uma homenagem à data de “nascimento” do deus persa Mitra, que representa a luz e, ao longo do século 2, tornou-se uma das divindades mais respeitadas entre os romanos. Qualquer semelhança com o feriado cristão, no entanto, não é mera coincidência.
A história do Natal começa, na verdade, pelo menos 7 mil anos antes do nascimento de Jesus. É tão antiga quanto a civilização e tem um motivo bem prático: celebrar o solstício de inverno, a noite mais longa do ano no hemisfério norte, que acontece no final de dezembro. Dessa madrugada em diante, o sol fica cada vez mais tempo no céu, até o auge do verão. É o ponto de virada das trevas para luz: o “renascimento” do Sol. Num tempo em que o homem deixava de ser um caçador errante e começava a dominar a agricultura, a volta dos dias mais longos significava a certeza de colheitas no ano seguinte. E então era só festa. Na Mesopotâmia, a celebração durava 12 dias. Já os gregos aproveitavam o solstício para cultuar Dionísio, o deus do vinho e da vida mansa, enquanto os egípcios relembravam a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos. Na China, as homenagens eram (e ainda são) para o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza. Até povos antigos da Grã-Bretanha, mais primitivos que seus contemporâneos do Oriente, comemoravam: o forrobodó era em volta de Stonehenge, monumento que começou a ser erguido em 3100 a.C. para marcar a trajetória do Sol ao longo do ano.
A comemoração em Roma, então, era só mais um reflexo de tudo isso. Cultuar Mitra, o deus da luz, no 25 de dezembro era nada mais do que festejar o velho solstício de inverno – pelo calendário atual, diferente daquele dos romanos, o fenômeno na verdade acontece no dia 20 ou 21, dependendo do ano. Seja como for, esse culto é o que daria origem ao nosso Natal. Ele chegou à Europa lá pelo século 4 a.C., quando Alexandre, o Grande, conquistou o Oriente Médio. Centenas de anos depois, soldados romanos viraram devotos da divindade. E ela foi parar no centro do Império.
Mitra, então, ganhou uma celebração exclusiva: o Festival do Sol Invicto. Esse evento passou a fechar outra farra dedicada ao solstício. Era a Saturnália, que durava uma semana e servia para homenagear Saturno, senhor da agricultura. “O ponto inicial dessa comemoração eram os sacrifícios ao deus. Enquanto isso, dentro das casas, todos se felicitavam, comiam e trocavam presentes”, dizem os historiadores Mary Beard e John North no livro Religions of Rome (“Religiões de Roma”, sem tradução para o português). Os mais animados se entregavam a orgias – mas isso os romanos faziam o tempo todo. Bom, enquanto isso, uma religião nanica que não dava bola para essas coisas crescia em Roma: o cristianismo.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Introdução a Maçonaria


George Washington (em inglês) foi maçom, assim como Benjamin Franklin, Paul Revere e Henry Ford. Todos esses homens ilustres e influentes foram membros da maçonaria - membros privilegiados da maior e mais antiga irmandade mundial.
Ainda que conte com cinco milhões de membros em todo o mundo, a maçonaria é uma sociedade enigmática. Os maçons alegam que são apenas uma irmandade de pessoas com inclinações semelhantes que se reúnem regularmente para fins de esclarecimento espiritual e intelectual. Os proponentes de teorias de conspiração os vêem como um sigiloso movimento clandestino cujo objetivo é dominar o mundo.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Maria da Penha. ... Por que não João da Penha?


Estava enfrente na calçada, passando o tempo.
Quando presenciei uma cena esdrúxula ou engraçada,
Parados do outro lado da rua estavam um casal.
A mulher utilizava o orelhão.
O homem sentado na moto.
Aproximou-se dos dois uma terceira pessoal que chamou-me a atenção,
devido sua abordagem ao casal,.
Gritos e palavrões.
O rapaz logo saiu em direção ao posto de gasolina, indo calibrar o pneu,
As duas se atracaram, chegando a cair no chão. 
Foram interrompidas pela turma do deixa disto.
Não satisfeita a mulher que havia abordados os dois, dirigiu-se ao posto e começou a agredir o rapaz com tapas e palavrões.
Alguém gritou ,,, " Cuidado com a Maria da Penha, " 
O Homem saiu levando tapas no rosto, no braço, nas costa  e não reagiu.

Conclui que precisamos aprovar a lei João da Penha.
O que acham?

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Sombras

Do bog de Pablo Rosa
http://oexcluido.wordpress.com/



Trancado no escuro olhando para uma vela, acesa bem longe.
A vida está como a chama, parada, apenas aguardando o seu fim.
No fundo a sombra de um passado incerto.
O Mundo girando e ele ali trancado,
Olhando fixamente para a chama, que continua parada.
O tic-tac do relógio não o incomoda mais.
O papel e caneta em suas mãos renovam a esperança,
De que seu futuro não seja apenas sombras.
Um espelho reflete os seus medos.
A cada linha escrita, uma nova esperança.
A cada sombra um arrependimento.
A cada imagem uma angustia.
A cada oscilação da chama um aviso. O que será este aviso?
A chama esta chegando ao seu fim. A luz diminui.
O espelho não está mais visível.
As sombras estão menores.
Não há mais nada para consumi-lo.
Um sorriso surge em seu rosto.
O aviso está claro.
A chama se apaga e por fim apenas a duvida:
Será que valeu a pena?







Pablo SRosa

domingo, 5 de dezembro de 2010

A cara do brasileiro


HISTÓRIA VIVA
http://historianovest.blogspot.com/
A cara do brasileiro

De onde vem nosso jeitinho, nosso modo de falar, nossa malandragem? Depois de mais uma temporada de escândalos políticos, a discussão em torno da origem do caráter nacional está de volta
Rodrigo Cavalcante*

Afinal, quem somos nós, os brasileiros? À primeira vista, a resposta para essa pergunta é fácil: somos o produto da miscigenação entre os colonizadores portugueses, os índios que aqui viviam e os africanos trazidos como mão-de-obra escrava, além dos imigrantes que chegaram entre os séculos 19 e 20 – como alemães, italianos, japoneses. Até aí, tudo bem. Somos, enfim, um povo mestiço genética e culturamente que, apesar da diversidade, compartilha certos traços em comum.
A questão, porém, fica um pouco mais complicada quando se trata de buscar a essência do que se convencionou chamar de caráter nacional, aqueles traços que explicam uma série de comportamentos que costumamos encarar com naturalidade mas que, quase sempre, causam surpresa entre os estrangeiros.
"Não é só um estereótipo. As pessoas aqui se relacionam com mais afetividade. Os brasileiros conversam na rua, enquanto na Europa o silêncio predomina nas estações de ônibus e metrô", diz o jornalista espanhol Juan Arias, que há 7 anos vive no Rio como correspondente do jornal El País. "Mas fiquei chocado com a burocracia kafkiana para tirar o visto de permanência após casar com uma brasileira. Foram mais de 600 dias de espera, 6 quilos de documentos e a insinuação de que tudo poderia sair rapidamente se pagasse 8 mil reais."
Brooke Unger, correspondente da revista inglesa The Economist em São Paulo, é mais um que se diz a um só tempo encantado e estarrecido com certos traços do povo brasileiro. "Quando cheguei ao Brasil pela primeira vez, vi garis em um desfile pelas praias do Rio, numa cena impensável para um americano." Em compensação, ele diz não entender a espécie de amnésia coletiva diante de casos graves de violência e impunidade. "A maioria dos brasileiros sabe mais sobre o atentado terrorista do dia 7 de julho, em Londres, do que sobre a chacina na Baixada Fluminense que matou 29 pessoas no dia 31 de março."
Criativo ou enrolão, extrovertido ou indiscreto, cordial ou malandro, maleável ou corruptível?
Após mais uma enxurrada de denúncias de corrupção – com direito a atuações picarescas como as do deputado Roberto Jefferson – a discussão sobre a essência do nosso caráter volta à berlinda. De onde vem nosso jeitinho, nossa informalidade (aqui, até o presidente da República é tratado pelo apelido), nossa naturalidade diante da miséria, nossos preconceitos, nossa capacidade de depositar fé em mais de uma religião?
No século 20, livros como Casa-Grande & Senzala, de Gilberto Freyre, Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda e Formação do Brasil Contemporâneo, de Caio Prado Júnior, tentaram responder a algumas dessas perguntas. Mas as interpretações clássicas sobre o que é o brasileiro seguem válidas hoje?
"A base dessas interpretações ainda é essencial, mas é preciso lembrar que o chamado caráter de um povo é algo que muda a cada instante", diz a antropóloga Lilia Schwarcz, da USP.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

WikiLeaks

Procurado pela Interpol, Julian Assange, o fundador do WikiLeaks, apelou na Jusiça sueca contra ordem de prisão

Como você descobriria que um presidente da França usa a popularidade de sua bela esposa, uma ex-modelo, para aumentar as chances dos interesses franceses em outros países? Ou que o governo brasileiro "disfarçou" a prisão de terroristas e que a diplomacia brasileira durante o governo Lula foi vista como "antiamaericana"? Há algumas opções: você poderia ser um espião, um diplomata norte-americano no Brasil, ou, simplesmente, esperar que um site especializado em revelar documentos secretos publicasse essas informações. Esse site existe e chama-se WikiLeaks.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Imagem do mês - Ocupação do morro do Alemão - 11/10


Quando querem tudo é possivel.
Anos de tormentos, de atos ilicitos, de opressões, de descasos, de discursos, de promessas, de drogas e drogados, de crimes, de omissões, de corrupções, de poder paralelo, de mortes, de assassinatos, de tolerâncias, de tráfigo, de drogas e drogados, de inercias, de acomodações, de manchetes, de noticias, de documentários, de estórias e histórias, de traição, de mêdo, de abusos, de ostentações, de roubos, de prisões, de violações, de fulgas, de transferências, de sentenças, e etc.

Até entenderem que a vontade política é determinante.

Sim vocês podem!.
Onde estavam?
Por que demoraram tanto?

Talvés porque tudo isto esta lá, e não no centro do Rio?

Uma operação supreendente, admirável.
Integração entre os governos federal, estadual e municipal, entre o exército, a marinha, a aeronáutica, a políícia especial, a polícia militar e a polícia cívil. 
Transmissão direta pela mídia, e interatividade através da internet.

Sim vocês podem!
Nós agradecemos.

Por que demoraram tanto?

Vocês estavam lá.
Agora nasce a confiança.
Podemos contar com vocês.
Cresçe a expectativa.
Por favor, não nos decepcione.
rar.

Período Democrático de Getúlio Vargas

Texto de Ana Paula da Rocha Lima
Em: http://ciadosblogueiros.blogspot.com/2010/11/periodo-democratico-de-getulio-vargas.html:



Numa Democracia Populista o Governo se apoia numa mobilização popular, principalmente pelo voto, mas na verdade quem comanda são as elites com os chefes políticos que conduzem o país sócio-economicamente, e quando percebem alguma tensão popular dão concessões com objetivo de apaziguar tais tensões sempre visando a manutenção desta elite.

Getúlio Vargas era acusado de populista e o termo varguismo seria um conjunto de ideias nacionalistas com objetivo de modernização industrial e autonomia política diante de grandes potências como EUA. Foi deputado estadual e federal, Ministro da Fazenda e assumiu a Presidência de República em 1930 através de um golpe. Eleito em 1934 se manteve no poder até 1945.

Em 1951 voltou ao poder novamente como Presidente. Durante seu governo, aumentou a industrialização e em decorrência disso, com um maior poder aquisitivo e dinamização do capitalismo, a urbanização, a classe média e o operariado destacam-se neste jogo político.

A Constituição aprovada em 1946 em vigor até 1964 tinha uma política chamada Liberal Democrática , havendo divisão dos poderes - Legislativo, Executivo e Judiciário- ,voto individual para Câmara e Senado, liberdade de expressão e de imprensa e voto das mulheres.


domingo, 28 de novembro de 2010

Brasil! aqui o palhaço é você!!

Do blg 
Em um país onde muitos trabalham para sustentar suas famílias e não recebem ajuda do governo; Outros que não fazem nada recebem uma grande ajuda.

Você já ouviu falar o que é o auxílio-reclusão?? Veja abaixo!!


O auxílio-reclusão é um benefício devido aos dependentes do segurado recolhido à prisão, durante o período em que estiver preso sob regime fechado ou semi-aberto. Não cabe concessão de auxílio-reclusão aos dependentes do segurado que estiver em livramento condicional ou cumprindo pena em regime aberto.
Para a concessão do benefício, é necessário o cumprimento dos seguintes requisitos:
- o segurado que tiver sido preso não poderá estar recebendo salário da empresa na qual trabalhava, nem estar em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço;
- a reclusão deverá ter ocorrido no prazo de manutenção da qualidade de segurado;
- o último salário-de-contribuição do segurado (vigente na data do recolhimento à prisão ou na data do afastamento do trabalho ou cessação das contribuições), tomado em seu valor mensal, deverá ser igual ou inferior aos seguintes valores, independentemente da quantidade de contratos e de atividades exercidas, considerando-se o mês a que se refere:
PERÍODO SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO 
TOMADO EM SEU 
VALOR MENSAL
De 1º/6/2003 a 31/4/2004 R$ 560,81 – Portaria nº 727, de 30/5/2003
De 1º/5/2004 a 30/4/2005 R$ 586,19 – Portaria nº 479, de 7/5/2004
De 1º/5/2005 a 31/3/2006 R$ 623,44 – Portaria nº 822, de 11/5/2005
De 1º/4/2006 a 31/3/2007 R$ 654,61 – Portaria nº 119, de 18/4/2006
De 1º/4/2007 a 29/2/2008 R$ 676,27 – Portaria nº 142, de 11/4/2007
De 1º/3/2008 a 31/1/2009 R$ 710,08 – Portaria nº 77, de 11/3/2008
De 1º/2/2009 a 31/12/2009 R$ 752,12 – Portaria nº 48, de 12/2/2009
A partir de 1º/1/2010 R$ 798,30 – Portaria nº 350, de 30/12/2009*
A partir de 1º/1/2010 R$ 810,18 – Portaria nº 333, de 29/6/2010
* revogada pela Portaria nº 333, de 29/6/2010, com efeitos retroativos a 01/01/2010.
Equipara-se à condição de recolhido à prisão a situação do segurado com idade entre 16 e  18 anos que tenha sido internado em estabelecimento educacional ou congênere, sob custódia do Juizado de Infância e da Juventude.
Após a concessão do benefício, os dependentes devem apresentar à Previdência Social, de três em três meses, atestado de que o trabalhador continua preso, emitido por autoridade competente, sob pena de suspensão do benefício. Esse documento será o atestado de recolhimento do segurado à prisão .
O auxílio reclusão deixará de ser pago, dentre outros motivos:
- com a morte do segurado e, nesse caso, o auxílio-reclusão será convertido em pensão por morte;
- em caso de fuga, liberdade condicional, transferência para prisão albergue ou cumprimento da pena em regime aberto;
- se o segurado passar a receber aposentadoria ou auxílio-doença (os dependentes e o segurado poderão optar pelo benefício mais vantajoso, mediante declaração escrita de ambas as partes);
- ao dependente que perder a qualidade (ex.: filho ou irmão que se emancipar ou completar 21 anos de idade, salvo se inválido; cessação da invalidez, no caso de dependente inválido, etc);
- com o fim da invalidez ou morte do dependente.
Caso o segurado recluso exerça atividade remunerada como contribuinte individual ou facultativo, tal fato não impedirá o recebimento de auxílio-reclusão por seus dependentes.
Nem consigo escrever uma materia sobre isto!
Isto é justo????
Se você quer ajudar divulga esta noticia!
Obrigado
“Trabalhe duro, pois milhões de pessoas que vivem do
Fome-Zero e do Bolsa-Família,  sem trabalhar, dependem de
você”!
Fonte: http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22

Pablo SRosa 
http://oexcluido.wordpress.com/2010/11/26/brasil-aqui-o-palhaco-e-voce/#more-70

Comentários
Rogerio Rosa
Ao apenado o cumprimento da sentença. Aos seus dependentes a assistência do Estado. Eu concordo. Quem cometeu o delito não se beneficia O auxilio reclução é recebido pelos dependente, não por quem esta preso. É uma questão social. O Bolsa familia é uma outra maneira de complementar a renda dos desprovidos.
A nação é formada por pessoas. O Estado tem o dever de estabelecer politicas compensadorias.
Não podemos nos iludir com as cantilenas do conservadorismo. A Cesar o que é de Cesar, a Deus o que é de Deus, ao povo o direito a sobrevivência.
Pablo é muito bom participar do seu Blog.
Continue!
Estou orgulhoso!

Pablo Rosa
Sera?
É melhor dar o peixe ou ensinar a pescar?

Rogerio Rosa
Pablo
“Ensinar a pescar” foi o que faltou a muitos.
Continuará falatando se não redistribuirmos a renda de forma direta e indireta, se não adotarmos politicas compensatorias. Se não investirmos no social. É desproporcional a distância entre os pescadores de hoje e os desprovidos.
Lembre que é dando que se recebe, mas não podemos esperar a dádiva da vida eterna.
Aproximar as diferenças não é melhor do que distanciá-las?
i tell my son
Participem deste diálogo 

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Encontro com blogueiros no Palácio do Planalto

Confira no vídeo abaixo a entrevista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizada nesta quarta-feira com blogueiros.

O encontro aconteceu no Palácio do Planalto, em Brasília. Os nomes dos blogueiros foram escolhidos pela organização do 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, realizado em São Paulo entre os dias 20 e 22 de agosto.


Entre os entrevistadores estavam os blogueiros Altamiro Borges ("Blog do Miro"), Altino Machado ("Blog do Altino"), Conceição Lemes ("Vi o Mundo"), William Barros ("Cloaca News"), Eduardo Guimarães ("Cidadania"), Leandro Fortes ("Brasília, Eu Vi"), Pierre Lucena ("Acerto de Contas"), Renato Rovai ("Blog do Rovai"), Rodrigo Vianna ("Escrevinhador") e Túlio Vianna ("Blog do Túlio Vianna").

domingo, 21 de novembro de 2010

Preconceito está relacionado à falta de conhecimento

O Fantástico investiga o que existe por trás de tantos casos de intolerância. 
Intolerância nas ruas de São Paulo, do Rio de Janeiro, dentro de um avião

sábado, 20 de novembro de 2010

Armadilha Fácil - Para o combate a Dengue

O texto de hoje foi enviado por  Franklin Netto  de Visconde do Rio Branco-MG, por e-mail, ao blog: http://www.blogdoprofex.blogspot.com/   

Para ajudar com a luta contínua contra os mosquitos da dengue e a dengue hemorrágica, uma idéia é trazê-los para uma armadilha que pode matar muitos deles. 
O que nós precisamos é, basicamente: 
- 200 ml de água,
- 50 gramas de açúcar mascavo,
- 1 grama de levedura (fermento biológico de pão, encontra em qualquer supermercado )

- 1 uma garrafa plástica PET de 2 litros


A seguir estão os passos a desenvolver:

1. Corte uma garrafa de plástico no meio.. Guardar a parte do gargalo:


2. Misture o açúcar mascavo com água quente. Deixar esfriar. Depois de frio despejar na metade de baixo da garrafa.
3. Acrescentar a Levedura . Não há necessidade de misturar. Ela criará dióxido de carbono. 
 4. Colocar a parte do funil, virada para baixo, dentro da outra metade da garrafa. 
 5. Enrolar a garrafa com algo preto, menos a parte de cima, e colocar em algum canto de sua casa.

Em duas semanas você vai ver a quantidade de mosquitos que morreu lá dentro da garrafa.

O resultado:

Além da limpeza de suas casas, locais de reprodução do mosquito, podemos utilizar esse método muito útil em escolas, creches, hospitais e residências.
Não se esqueça da dengue...

DIVULGUEM!!! 
Ficou popular em 16/11/2010

Diversidade cultural é fruto da trajetória de resistência

Essa diversidade cultural também é fruto de uma trajetória de resistência, que começou no século XVIII, com as histórias dos escravos e dos quilombos. O que chama a atenção é que a educação já era vista como forma de cidadania.
O orgulho dos afrodescendentes do Maranhão está relacionado à manifestações e as lutas contra o racismo. Uma dessas lutas ficou bastante conhecida entre os maranhenses: a balaiada, que teve como líder Negro Cosme.
Esta é a história de uma luta fratricida que sangrou a província do Maranhão. A história que será mostrada aqui foi ouvida... Um pedaço aqui, lida um trecho ali, outro acolá.
“A balaiada é uma revolta dos pobres, uma revolta do interior, no interior do Maranhão”, conta a historiadora Maria Raimunda de Araújo.
Juntamos alguns cacos para compor o quebra-cabeça que foi essa guerra ocorrida nos primeiros anos do século XVIII.
“Desde o início os negros tiveram uma participação direta ou indireta. Cosme liderou mais de três mil negros em armas e deu um novo fôlego ao movimento”, explica Iramir Alves de Araújo, escritor e pesquisador.
A historiadora fala sobre a preocupação de Cosme com o conhecimento. “Ele cria um quilombo no tempo da guerra, com pouco tempo. Mas é o próprio governo que diz que lá tinha uma escola de ler e escrever. Ora um homem desses preocupado ao mesmo tempo de tá se defendendo, ele não esqueceu que a educação era uma forma de estar livre também. Não só livre do cativeiro, mas essa liberdade da mente, que se adquire com o conhecimento.”
Essa parte da história do Maranhão está contada no livro a balaiada de Iramir Alves de Araújo que foi adotado como material didático em escolas de São Luís. “Foi promulgada uma lei, dentro do próprio sistema Educacional que torna obrigatório o ensino dos estudos afro-brasileiros. No estado do maranhão, é necessário que os alunos, que eles tenham um acesso maior a esse conhecimento que vai ser importante para compor a identidade do maranhense, conhecer a história do Maranhão”, explica o professor, Carlos Eduardo Penha Everton.
Em 10 de abril de 1842 Cosme Bento das Chagas - tutor da liberdade - foi executado. Não como rebelde ou aliado dos balaios, mas como exemplo aos escravos para que não ousassem sonhar com liberdade.
“Ele cometeu o pecado capital, o de saber ler, o da cultura, o de saber discernir, o de ser informado da maneira que fosse e por tentar criar algum núcleo, ou núcleos, dos quais, aqueles que quisessem poderiam melhorar o seu conhecimento de mundo”, fala o ator, Milton Gonçalves.
Para falar sobre a diversidade cultural e educação, o Ação convidou o professor Carlos Benedito Rodrigues da Silva, da Universidade Federal do Maranhão. Veja a entrevista no vídeo
.

Dia da Consciência Negra

O BRASIL NEGRO


A Lei n.º 10.639, de 9 de janeiro de 2003, incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. Com isso, professores devem inserir em seus programas aulas sobre os seguintes temas: História da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional.

Com a implementação dessa lei, o governo brasileiro espera colaborar para o resgate da contribuição dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país.

A escolha dessa data não foi por acaso: em 20 de novembro de 1695, Zumbi - líder do Quilombo dos Palmares- foi morto em uma emboscada na Serra Dois Irmãos, em Pernambuco, após liderar uma resistência que culminou com o início da destruição do quilombo Palmares. Apesar das várias dúvidas levantadas quanto ao caráter de Zumbi nos últimos anos (comprovou-se, por exemplo, que ele mantinha escravos particulares) o Dia da Consciência Negra procura ser uma data para lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte forçado de africanos para o solo brasileiro (1534).

Algumas entidades como o Movimento Negro Unificado (o maior do gênero no país) organizam palestras e eventos educativos, visando principalmente crianças negras. Procura-se evitar o desenvolvimento do autopreconceito, ou seja, da inferiorização perante a sociedade.

Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência no 20 de novembro são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.

O dia é celebrado desde a década de 1970, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos; até então, o movimento negro precisava se contentar com o dia 13 de Maio, Abolição da Escravatura – comemoração que tem sido rejeitada por enfatizar muitas vezes a "generosidade" da princesa Isabel, ou seja, ser uma celebração da atitude de uma branca.

A semana dentro da qual está o dia 20 de novembro também recebe o nome de Semana da Consciência Negra.

Então, comemorar o Dia Nacional da Consciência Negra nessa data é uma forma de homenagear e manter viva em nossa memória essa figura histórica. Não somente a imagem do líder, como também sua importância na luta pela libertação dos escravos, concretizada em 1888.

Porém, hoje as estatísticas sobre os brasileiros ainda espelham desigualdades entre a população de brancos e a de pretos e pardos.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Renda dos negros cresceu o dobro da renda dos brancos


        Massa de renda da população negra brasileira atingiu  R$ 544 bilhões.

Apesar da melhora, disparidade no país segue grande.

Do G1, em São Paulo

A massa de renda da população negra brasileira atingiu, este ano, R$ 544 bilhões, segundo pesquisa do Data Popular. Desde 2007, a renda média per capita do negro cresceu 38% - o dobro da renda média do branco, que teve alta de 19% no mesmo período.
Segundo Renato Meirelles, sócio-diretor do instituto de pesquisa, o crescimento é resultado do aumento da renda da população da base da pirâmide de renda do país: “tem mais negros nas classes C e D, que teve aumento maior de renda que nas classes A e B [no período analisado]”, afirmou ele ao G1.
O acesso dessa fatia da população aos bens de consumo também tem registrado alta. Em 2001, 63% tinham televisão. Este ano, o percentual alcançou 98%. A posse de geladeira também cresceu de 56% para 97% no mesmo período.
“O mercado que essa parcela da população representa é muito grande e não pode ser ignorado”, aponta o executivo. “É um mercado que merece ser tratado com todo respeito, não basta usar um garoto propaganda negro, é preciso entender as referencias culturais, a história. Se consolidou o fato de que não é possível mais ter preconceito no Brasil”, diz.
Apesar do crescimento da renda da população negra, a disparidade no país segue grande. Na classe A, apenas 17,6% são negros. Na classe C, essa fatia corresponde a 39, 3%, enquanto na E os negros compõem 70,7% do total.
“Em 10, 15 anos talvez você comece a ter uma situação mais próxima de igualdade, mas falta muito ainda”, diz Meirelles.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O drama do vício do crack

Caco Barcellos mostra a rotina da Cracolândia ao longo da noite.
Crack - parte 1


Crack - parte 2

Entenda o livro 'Capitães da Areia'

Obra, de Jorge Amado, conta a vida dos meninos de rua de Salvador.
Confira dicas na aula em vídeo.
Fernando Marcílio, professor de literatura do Anglo, dá uma aula sobre o livro ‘Capitães da Areia’, de Jorge Amado.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Cotas: No STF, Luiz Felipe de Alencastro defendeu o uso de critérios raciais

Luiz Felipe de Alencastro
Parecer sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, ADPF/186, apresentada ao Supremo Tribunal Federal


Luiz Felipe de Alencastro

Cientista Político e Historiador
Professor titular da cátedra de História do Brasil da Universidade de Paris IV Sorbonne

No presente ano de 2010, os brasileiros afro-descendentes, os cidadãos que se auto-definem como pretos e pardos no recenseamento nacional, passam a formar a maioria da população do país. A partir de agora -, na conceituação consolidada em décadas de pesquisas e de análises metodológicas do IBGE -, mais da metade dos brasileiros são negros.

Esta mudança vai muito além da demografia. Ela traz ensinamentos sobre o nosso passado, sobre quem somos e de onde viemos, e traz também desafios para o nosso futuro.

Minha fala tentará juntar os dois aspectos do problema, partindo de um  resumo histórico para chegar à atualidade e ao julgamento que nos ocupa. Os  ensinamentos sobre nosso passado, referem-se à densa presença da população negra na formação do povo brasileiro. Todos nós sabemos que esta presença originou-se e desenvolveu-se na violência. Contudo, a extensão e o impacto do escravismo não tem sido suficientemente sublinhada.  A petição inicial de ADPF apresentada pelo DEM a esta Corte fala genéricamente sobre “o racismo e a opção pela escravidão negra » (pp. 37-40), sem considerar a especificidade do escravismo em nosso país.

Na realidade, nenhum país americano praticou a escravidão em tão larga escala como o Brasil. Do total de cerca de 11 milhões de africanos deportados e chegados vivos nas Américas, 44% (perto de 5 milhões) vieram para o território brasileiro num período de três séculos (1550-1856). O outro grande país escravista do continente, os Estados Unidos, praticou o tráfico negreiro por pouco mais de um século (entre 1675 e 1808) e recebeu uma proporção muito menor -, perto de 560.000 africanos -, ou seja, 5,5% do total do tráfico transatlântico. No final das contas, o Brasil se apresenta como o agregado político americano que captou o maior número de africanos e que manteve durante mais tempo a escravidão.


Alê make e art disse sobre: O dia da consciência negra

Alê make e art  

http://alemakeart.blogspot.com/

Dia 20 de novembro: dia da consciência negra

Pois é dia 20 é o dia nacional da consciência  negra Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.

A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial. Ele morreu em combate, defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também um forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil. Zumbi lutou até a morte por esta cultura e pela liberdade do seu povo.
Importância da Data
A criação desta data foi importante, pois serve como um momento de conscientização e reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. Os negros africanos colaboraram muito, durante nossa história, nos aspectos políticos, sociais, gastronômicos e religiosos de nosso país. É um dia que devemos comemorar nas escolas, nos espaços culturais e em outros locais, valorizando a cultura afro-brasileira.

A abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em 1888. Porém, os negros sempre resistiram e lutaram contra a opressão e as injustiças advindas da escravidão.

Vale dizer também que sempre ocorreu uma valorização dos personagens históricos de cor branca. Como se a história do Brasil tivesse sido construída somente pelos europeus e seus descendentes. Imperadores, navegadores, bandeirantes, líderes militares entre outros foram sempre considerados hérois nacionais. Agora temos a valorização de um líder negro em nossa história e, esperamos, que em breve outros personagens históricos de origem africana sejam valorizados por nosso povo e por nossa história. Passos importantes estão sendo tomados neste sentido, pois nas escolas brasileiras já é obrigatória a inclusão de disciplinas e conteúdos que visam estudar a história da África e a cultura afro-brasileira.

Muitos aspectos vêm à tona neste dia como o preconceito,o sistema de cotas,a valorização..
Eu acho que por enquanto esse dia é muito importante mais sonho com o dia da consiência Humana, onde não precisaremos de um dia de luta racial pois o ser humano estará evoluído o bastante para saber que só existe uma raça,a raça humana!
Por enquanto vamos lutar pela consciência....
referências: suapesquisa.com
http://alemakeart.blogspot.com/

domingo, 14 de novembro de 2010

A piscina onde é impossível afundar

O Aldeia News visita as belezas naturais do deserto do Jalapão, no norte do Brasil. Entre as paisagens intocadas, conheça a piscina de nascentes subterrâneas onde é impossível afundar.